terça-feira, 22 de setembro de 2009

TENDÊNCIAS DO USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMÁTICA É COMUM NO ENSINO/APRENDIZAGEM
OBJETOS DE APRENDIZAGEM E MAPAS CONCEITUAIS COM ALUNOS DA 6ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL





Resumo. Este artigo descreve o uso de objetos de aprendizagens e mapas conceituais em uma 6ª série do ensino fundamental da escola municipal de Ensino Fundamental Cecília Meireles no município de Parauapebas no Pará. O mesmo mostra de que forma foi desenvolvido aulas de matemática com o uso desses recursos e ao mesmo tempo relata alguns passos de como ocorreu às aulas com os alunos dessa turma, o ambiente onde foram realizados os estudos, o envolvimento e o desenvolvimento desses alunos, nas aulas de matemática. Com isso, relatam-se, algumas imagens dos alunos e pelo professor de matemática em atividades pesquisadas e desenvolvidas. No entanto, tanto nas imagens como nos relatos, ver-se que o trabalho com ambientes de aprendizagem traz maio empolgação e motivação nas aulas, logo se percebe gosto e maior empenho de todos no que se pretende estudar.

1. Informação Geral
O uso de ambientes de aprendizagem e mapas conceituais foi desenvolvido na Escola Municipal de Ensino Fundamental Cecília Meireles no Município de Parauapebas no estado do Pará. Tendo como público alvo alunos de uma 6ª série do ensino fundamental, com faixa-etária dos alunos entre 12 à 14 anos. A escola fica situada no centro da cidade e é composta de 16 salas de aula, possui sala de apoio, biblioteca(sala de leitura), sala de vídeo, quadra de esportes e um amplo laboratório de informática, favorecendo um aluno por computador.
Durante as aulas de matemática no primeiro momento, levei-os ao laboratório de informática e mostrei através de data-show o que são objetos de aprendizagem e onde encontrá-los, logo em seguida, ofereci alguns endereços eletrônicos e pedi que procurasse na internet jogos, vídeos, imagens e sons envolvendo a matemática. No decorrer das aulas pude perceber que os alunos passaram a ter mais gosto por essa disciplina, focalizei os estudos voltados para cálculo de área, classificação de polígonos e ângulos, assuntos que se estava iniciando no 2º bimestre.
Os alunos foram divididos em grupos de 04 componentes, compondo assim, 08 grupos. Logo em seguida, deixei-os livres para a escolha de um dos temas: cálculo de área, classificação de polígonos ou ângulos. Na aula seguinte, fizemos pesquisas sobre mapas conceituais, logo depois direcionei todos os grupos dando os passos sobre os temas à serem estudados, exigir que cada equipe além de expor uma apresentação dos assuntos estudados criassem o seu mapa conceitual relacionado ao tema proposto.

2. Direcionamentos no Laboratório de Informática

Durante as pesquisas fiz alguns direcionamentos, indiquei o portal só matemático, onde realizamos atividade de ângulos e medidas de comprimento já que estávamos estudando medidas de área e de ângulos no bimestre.
No decorrer das pesquisas pudemos tirar dúvidas em enciclopédias, analisando todas as imagens possíveis sobre os assuntos, fizemos leituras compartilhadas e sempre que possível esclareci dúvidas usando o quadro branco do laboratório de informática.
O que mais me chamou atenção foi as maneira de como os alunos entediam o assunto, ao analisar o desenvolvimento das aulas, percebi que o gosto da disciplina se torna maior quando se mantêm um contato com imagens, vídeos, sons, jogos, pois as aulas até parece passar mais rápidas e o aprendizado mais significante e atrativo.

3. Alunos no laboratório de Informática
Primeiro contato dos alunos com ambientes de aprendizagem no laboratório de informática. Estudar matemática com jogos online torna as aulas atrativas, é uma ótima ferramenta para o ensino e aprendizagem, eles estimulam o cognitivo dos discentes, um bom planejamento com objetivos definidos poderá oportunizar uma boa produtividade nas aulas com ambientes de aprendizagens.



Ao verem jogos matemáticos online, aproveitamos para praticar um pouco. Logo percebi que o gosto pela aula aumentava na medida em que praticávamos.
O interessante é que alguns dos jogos online oferecem quatro alternativas e apenas uma correta. Além disso, é determinado o tempo para que seja efetuada a operação. Por esse motivo, o aluno precisa resolver rápido, antes de acabar o tempo necessário e assim, estimulando-os ao cálculo mental.


4. Imagens das Atividades Encontradas e realizadas em Ambientes de Aprendizagem

Com essas atividades, ficou fácil de entender quanto vale o ângulo â em cada caso, pois os alunos já sabiam o conceito de retas paralelas. Mais, as imagens permitem maior clareza e compreensão.
Outra atividade interessante foi o cálculo de área na figura abaixo, encontrada e
disponível no endereço:
http://www.calculando.com.br/jogos/mostrar.asp?serie=6&categoria=área&pagina=1
Que teve como enunciado da questão: Sem efetuar cálculos, escreva se a superfície branca ocupa maior, menor ou igual área que a superfície cinza.



Para esse tipo de atividade foi necessário uma média de 15 à 20 minutos, pois, os alunos precisaram de certa observação e concentração. Aproveitei o momento para explicar a razão da fórmula para calcular área de algumas figuras planas como: retângulos, quadrados e triângulos, no qual foram necessários mais tempo.

5. Mapas Conceituais

Como eu tinha direcionado que cada grupo criasse um mapa conceitual, levei-os ao laboratório de informática para perceberem e entender diversos mapas conceituais foi essencial procurar na internet exemplos de vários mapas conceituais aos quais procuramos no Google e encontramos através do endereço eletrônico:
http://penta2.ufrgs.br/edutools/mapasconceituais/exemmapasconceituais.html, onde os mesmos encontram-se classificados em exemplos e em ordem seguidos de seus respectivos autores, como mostra as figuras abaixo.

1º Exemplo


Nesse exemplo, procuremos entender as palavras de ligações entre os tais conceitos ao qual se refere o mapa conceitual acima.


2º Exemplo





3º Exemplo




4º Exemplo





Ao olharem esses exemplos, todos ficaram surpresos, pois, achavam que existia apenas um modelo de mapa conceitual. Ainda um dos objetivos da pesquisa era para que analisassem as idéias que os autores pretendiam chegar com seus conceitos.
Como ficou difícil encontrar mapas conceituais relacionado aos temas propostos do bimestre, apresentei tive que criar alguns entre eles cito dois, como mostra as figuras 01 e 02 abaixo:

Mapa:01

Mapa: 02



Foi importante mostrar esses conceitos. Durante essas exposições, houve debates, e leituras de imagens, enfim, a cada ilustração percebia-se o gosto o interesse por se tratar de algo de diferente e prazeroso, tornando as aulas de matemática interessantes e significantes.
6. Cabri-Géomètre II como Ambiente de Aprendizagem
Para trabalhar com o cálculo de área, classificação de Polígonos e ângulo usei o Cabri-Géomètre II, por ter sido um dos meios mais fácies eficiente para esclarecer e tirar duvidadas, apesar de ser um pouco complicado para usar suas funções. Para isso, tive que treinar bastante o que iria passar, pois, eu pretendia alcançar bastante êxito ao usar esse recurso, abaixo se apresenta um dos exemplos usados por mim e meus alunos nesses conhecimentos:








Nesta figura os alunos aprenderam que a soma dos ângulos internos em qualquer triângulo correspondem a 180° e a fórmula matemática de se calcular a área do triângulo.





Já na circunferência acima, entenderam sobre giros e segmentos de retas e raios. O interessante é ver que quando se clica e arrasta um dos segmentos, ao movê-lo, a abertura do ângulo também aumenta na mesma proporção.
Essas demonstrações se tornaram a parte mais interessante e atrativa, todos os alunos queriam mexer, nas figuras, ficaram impressionados, ao verem que quando a figura aumenta de tamanho suas áreas também variam, com os ângulos que são calculados ali mesmo na própria figura, com as animações que podem ser usadas. O uso do Cabri-Géomètre II foi de grande importância para todos. No entanto, além de mostrar de forma clara os três temos já citados de uma só vez, ficou muito mais entendido. Apesar de que os alunos aprendem mais e copia menos do que o que passado pelo tradicional quadro negro.

7. Exposições de atividades com uso de data-show sobre assuntos pesquisados na internet

Para que os alunos viessem a entenderem com maior clareza os assuntos estudados no laboratório de informática, tive que promover uma aula complementar no refeitório, isto pelo fato de que este considerado um dos mais ambiente amplo e escuro da escola para o uso do data-show, como mostra as imagens abaixo:

Estas imagens foram usadas para intensificar conceitos e a elaboração de mapas conceituais.


Ao desenvolver uma aula com o uso do Cabri-Géomètre II e data-show, pude perceber que o ensino por meio de imagens torna o ensino mais significante, além do mais, desperta a curiosidade, aproximando o abstrato aos nossos olhos.

8. Exposições de atividades desenvolvidas e pesquisas pelos alunos
Ao término das pesquisas e estudos eu havia determinado que os alunos em grupos pudessem expor o que entenderam dos assuntos sobre cálculos de área e ângulos como mostra as imagens seguintes.




Observa-se com essas imagens que o trabalho com ambientes de aprendizagem não acaba apenas em pesquisas, jogos, sons e vídeos, dentre outros. É preciso que mesmo com esses importantes recursos, a exposição do que foi estudado tornam-se momentos para debates, enfoques teóricos e práticos, envolvendo o grupo em geral para a troca de conhecimento chegando assim em um produto final.
9. Referências

Follador, Dolores – Tópicos especiais no ensino de matemática: tecnologias e tratamento da informação/ Dolores Follador. – Curitiba: Ibpex, 2007. 138p.: il.

Ribeiro, Flávia Dias – Jogos e Modelagem na educação matemática / Flávia dias Ribeiro. – Curitiba: Ibpex, 2008. 124p.: il.

Bassanezi, R. C. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. São Paulo: Contexto, 2004.

Barbosa, J. C. Modelagem Matemática na sala de aula. In: VIII encontro nacional de educação matemática, 2004, Recife. Anais do VIII Enem, Recife: Sbem-PE, 2004. 1 CD-ROM.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. V. 3. Rio de Janeiro: DPeA, 2000.

Internet

http://penta2.ufrgs.br/edutools/mapasconceituais/exemmapasconceituais.html
http://www.calculando.com.br/jogos/mostrar.asp?serie=6&categoria=área&pagina=1
Portal do professor do MEC
http://www.rived.mec.gov.br/site_objeto_donwload.php?flatipoacesso=download&codobjeto=93
Nesta unidade, trabalhamos os conceitos de objetos de aprendizagem
http://www.reusability.org/read/)
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/
http://www.labvirt.fe.usp.br
http://www.ludoteca.if.usp.br
http://www.educ.ar
http://www.educarchile.cl
http://www.merlot.org
www.merlot.com.br
http://www.physics.org/interact/physics-to-go/balloon-kebabs/index.html
http://www.physics.org/interact/physics-to-go/bernoulli-balls/index.html

Jogos matemáticos online e alguns comentários.
http://www.ojogos.com.br/jogo/mathematics-.html este jogo envolve adição e subtração, nome do jogo:
O interessante é que o jogo oferece quatro alternativas e apenas uma correta. Além disso, ele determina o tempo para que seja efetuada a operação. Por esse motivo, o aluno precisa resolver rápido, antes de terminar o tempo.

http://www.ojogos.com.br/jogo/double-digits.html
Este jogo oferece uma importantíssima ferramenta para se fazer cálculo mental, oferece apenas adição e subtração.

http://www.ojogos.com.br/jogo/lemonade.html
O jogo apresenta o sistema monetário. Envolve compras, onde há um comerciante e o comprador.

Site de Jogos Matemáticos
http://www.ojogos.com.br/jogo/mathematics-.html acessado em: 05 de Maio de 2009
http://www.ojogos.com.br/jogo/double-digits.html acessado em: 05 de Maio de 2009
http://www.ojogos.com.br/jogo/lemonade.html acessado em: 05 de Maio de 2009
http://www.ojogos.com.br/jogos/matematica/matematica.html acessado em: 22 de Maio de 2009
http://www.calculando.com.br/ acessado em: 05 e 22 de Maio de 2009
http://www.calculando.com.br/jogos/default.asp?serie=8 22 de Maio de 2009
http://www.calculando.com.br/jogos/mostrar.asp?serie=6&categoria=área&pagina=1 acessado em: 05 e 22 de Maio
Bons repositórios de objetos de aprendizagem
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/ acessado em: 21 de Março de 2009
http://www.labvirt.fe.usp.br acessado em: 18 de Abril de 2009
http://www.ludoteca.if.usp.br acessado em: 18 de Abril de 2009 e em: 22 de Maio de 2009
http://www.educ.ar acessado em: 18 de Abril de 2009
http://www.educarchile.cl acessado em: 18 de Abril de 2009


Profº. Antonio Silvano Silva dos Santos
Silvanos.2008@hotmail.com, tonypeba@yahoo.com.br

quarta-feira, 2 de setembro de 2009


PROFESSORA AURICÉLIA E OS ALUNOS ENVOLVIDOS NO PROJETO

O Projeto Educanvisa 2009 treina sua primeira turma de multiplicadores, formada por professores de escolas públicas e profissionais de Educação e Vigilância Sanitária do Distrito Federal. A idéia é que os participantes capacitados pela Anvisa possam atuar na disseminação das temáticas em saúde e na conscientização sobre os riscos no consumo inadequado dos produtos sujeitos à vigilância sanitária.
A escola é um ambiente propício à formação dos valores da sociedade e o canal mais acessível à população, considerando o grande potencial de multiplicação do conhecimento adquirido pelos alunos.Criado no final de 2005 pela Anvisa, o Educanvisa busca formar multiplicadores dos conceitos e práticas desejáveis no uso de medicamentos e na opção pela alimentação saudável. É um dos projetos desenvolvidos pela Agência para atingir as metas firmadas com o Ministério da Saúde no Programa Mais Saúde, integrante do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal.
A Escola Cecília Meireles, aderiu ao projeto Federal Educanvisa, uma parceria entre educação e vigilância sanitária, que tem como principal objetivo, orientar e sensibilizar a sociedade quanto as questões urgentes de saúde, e consequentemente a busca de melhorias e qualidade de vida.O projeto está sendo desenvolvido sob a coordenação da professora Auricélia Barros, (ciências) com a colaboração das professoras: Ana Cristina (língua Portuguesa) e Sandra Maria (Artes) com alunos da 6ª série A, que participam ativamente das atividades propostas.

Pais demonstram apoio ao projeto



Alunos participam das atividades











PARABÉNS À EQUIPE!